segunda-feira, 30 de abril de 2018

pode o céu ser tão longe...

Foto Júlia Tigeleiro




Devolve-me o azul sereno do céu e a doçura das manhãs de primavera. Mostrar-te-ei o lugar secreto onde dormem todas as palavras que não são ditas.



Blogue Cores e outros amores




9 comentários:

  1. Respostas
    1. ...que a vida leva, mas que os sonhos também trazem...

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Se o teu céu é o que penso
    É o vazio do universo.
    Mas se for o céu que verso
    É restrito, mas imenso.

    Céu interior pretenso
    Em ser muito mais disperso
    E é versado em meu verso
    Como razão do bom senso.

    No meu céu interior
    Voa também um condor
    Faminto, só de paixão.

    Porque tem fome de amor
    Seja do jeito que for
    Mas é do meu coração.

    Grande abraço. Laerte.

    ResponderEliminar
  4. Muito bonito. Obrigada Laerte. Um abraço.

    ResponderEliminar
  5. E em relação, àquilo que não é dito... aqui as imagens complementam, na perfeição...
    Belíssimo post! Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  6. Também gosto muito daquilo que fica por dizer, e que apenas se sente...!Bom domingo Ana.

    ResponderEliminar
  7. Pode o céu ser tão longe...
    perguntas.
    Não sei, respondo,
    o que sou não escondo:
    ave que abre os braços
    de esperança que a brisa
    me levante.

    Tinha visto, na correria...
    Nunca é tarde, nem o tempo é próprio, suficiente para contemplar estes voos que fazes.

    Bj.

    ResponderEliminar
  8. A correr ou não e sempre muito "vê-lo". Um beijo.

    ResponderEliminar