quinta-feira, 9 de março de 2017

nunca foi tão tarde ser depois...

Foto Júlia Tigeleiro


podes levar os dias que trouxeste
os pássaros soterraram agosto
e sem lugar um homem cega pela janela
o mar que jura ter tocado com o sangue

podia ter sido o amor se não tivesse vindo
tão diretamente da sede
um duplo rosto de enganos e os braços
que saíram desertos
o eco da morte reverbera na pele
com que vejo a tua ausência encher as ruas
um choro de papel cai pela terra
e nunca foi tão tarde ser depois

daqui onde o grito surdo incendeia
a refutação da madrugada
donde o crânio esmaga o coração
um homem corta pela janela
a própria certeza de ter sido

não é tarde demais para uma manhã
que foi a enterrar em tantas noites

as escadas morreram de sede
a terra caiu em nunca

podes levar os dias que trouxeste


Pedro Sena-Lino

3 comentários:

  1. Bela harmonia na beleza poética: a foto e o poema.
    E o amanhã aconteça na limpidez de uma esperança!...

    Um domingo inspirador-feliz, Julia.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Por afazeres profissionais - a escola é exigente - já há uns tempos que aqui não passava.
    Fico sempre encantado com as maravilhosas fotos. Parabéns, Júlia!

    ResponderEliminar
  3. Uma fabulosa fotografia para decifrar as penas ou apenas descansar o olhar.
    E um poema inteiro que num simples verso se faz: "e nunca foi tão tarde ser depois".

    ResponderEliminar