segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

o aroma do trigo maduro

Foto Júlia Tigeleiro



"Os teus olhos, temperados em procuras, deslumbramentos e esperas, dizem-me que é tempo de repousar da vertigem da viagem, de soltar os idiomas interiores alheios às palavras desenhadas na poeira.
Falas-me, baixinho, da liberdade que mora no silêncio do deserto, mas os corpos são seara sequiosa  de
amadurecer no respirar da poesia que se solta da pele.
Dou-te a mão, dás-me a mão. Ainda me falas de liberdade, mas nos teus olhos a luz do deserto adquire outra
tonalidades com
o aroma do trigo maduro."
AC

4 comentários:

  1. Há na perfeição do trigo
    um receio latente.
    No ar sente-se a eminência
    dum aroma perturbantemente
    negro anunciando a iminência
    duma tempestade estival.
    Li, assim, a foto e o texto perfeitos.

    Bom dia.

    ResponderEliminar
  2. Olá Agostinho. É sempre tão bom lê-lo e sentir a sua presença no meu cantinho. Um abraço e grata.

    ResponderEliminar