segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

inventemos asas até que...

Foto Júlia Tigeleiro


voa comigo nos ombros da noite
enlaçamos como dedos e dedos
na ternura completa das mãos.

inventemos asas até que nos
tenham como irmãos os pássaros
e as crianças nos persigam
pelo areal - o voo que é delas também.

acredita que o nosso olhar tocará um dia
o horizonte com tal força que a nossa palavra
ficará redonda, redonda como os ombros
desta noite em que te convido a descobrires
comigo o amor enorme que a maré nos tem

quando nos cobre os pés e nos obriga a nascer.

Vasco Gato

Sem comentários:

Enviar um comentário